facebook twiter Youtube

Bancários de todo o país lançam Campanha Salarial 2016 nesta sexta-feira


A campanha salarial nacional dos bancários já tem data para ganhar as ruas. Será no dia 12/8, próxima sexta-feira em todo o Brasil. Os bancos estão entre as empresas com maior número de queixas nos órgãos de defesa do consumidor.

O setor mais lucrativo da economia nacional, que, segundo levantamento da Economática, no primeiro trimestre do ano, obteve ganho de R$ 14,3 bilhões, é também o que mais desrespeita o cidadão.Os juros pagos pelos correntistas brasileiros são os mais altos do mundo, sem falar nas tarifas bancárias. É importante que a população também participe da campanha salarial, que promete ser a mais intensa dos últimos anos. As demandas são inúmeras. Faltam segurança, estrutura e funcionários para prestar atendimento de qualidade. Os reflexos são sentidos pelos bancários. A categoria está entre as que mais se afastam das atividades por problemas de saúde.

“Estamos organizando uma campanha diferente este ano. Seremos bastante contundentes em relação às nossas reivindicações e contra as demissões, porém iremos levar para os bancários nas agências músicas, apresentações teatrais e poesia, marcando com alegria, irreverência e bastante energia positiva o nosso momento de exigir dos bancos o fim das demissões, melhores condições de trabalho e aumento real nos salários. Queremos elevar a auto estima da categoria que precisa se mobilizar mais do que nunca, pois vivemos um momento político triste para o nosso país e numa conjuntura de ameaças aos nossos direitos. Também queremos que a alegria e o alto astral nos contagie nos dando força, coragem e determinação para enfrentarmos as maldades dos banqueiros e desse governo impostor de Michel Temer”, declarou Paulo Eduardo, presidente em exercício do Sindicato dos Bancários de Itabuna.

A pauta de reivindicação da categoria foi entregue na terça-feira, 9 de agosto, à Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), o que vai gerar a agenda das rodadas de negociações com os patrões banqueiros. A partir de agora, um novo processo se inicia, com as negociações para o atendimento da pauta. As primeiras rodadas acontecem nos dias 18 e 19 de agosto e tratam sobre os pontos gerais apresentados pelos bancários.

Os presidentes da Federação dos Bancários da Bahia e Sergipe, Emanoel Souza, e do Sindicato dos Bancários da Bahia, Augusto Vasconcelos, e o diretor do Sindicato de Sergipe, Adilson de Azevedo, participaram desta importante etapa da Campanha Salarial 2016. “A entrega da minuta coroa um processo que envolveu milhares de bancários em todo o Brasil. Cumprimos agora a primeira etapa. Começam agora as negociações. Mas as negociações não vão andar se em paralelo não tivermos uma grande mobilização da categoria para pressionar. Nós vivemos uma crise econômica e política em que os bancos não foram atingidos e o ônus está sendo colocado nas costas dos trabalhadores. Nós não vamos pagar o pato! Este é o recado que demos na mesa de negociação com a Fenaban”, destacou Emanoel Souza.

Na pauta, a categoria bancária reivindica, entre outras questões, reajuste de 14,78% (inflação + 5% de aumento real), piso salarial no valor do salário mínimo calculado pelo Dieese (R$3.940,24 em junho), PLR de três salários mais R$ 8.317,90, defesa do emprego, combate às metas abusivas e ao assédio moral, fim da terceirização, defesa das empresas públicas e contra a perda de direitos.

Veja abaixo as principais reivindicações da minuta:

Reajuste salarial: 14,78% (incluindo reposição da inflação mais 5% de aumento real)

PLR: 3 salários mais R$8.317,90

Piso: R$3.940,24 (equivalente ao salário mínimo do Dieese em valores de junho último).

Vale alimentação no valor de R$880,00 ao mês

Vale refeição no valor de R$880,00 ao mês

13ª cesta e auxílio-creche/babá no valor de R$880,00 ao mês.

Melhores condições de trabalho com o fim das metas abusivas e do assédio moral que adoecem os bancários.

Emprego: fim das demissões, mais contratações, fim da rotatividade e combate às terceirizações diante dos riscos de aprovação do PLC 30/15 no Senado Federal, além da ratificação da Convenção 158 da OIT, que coíbe dispensas imotivadas.

Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS): para todos os bancários.

Auxílio-educação: pagamento para graduação e pós.

Prevenção contra assaltos e sequestros: permanência de dois vigilantes por andar nas agências e pontos de serviços bancários, conforme legislação. Instalação de portas giratórias com detector de metais na entrada das áreas de autoatendimento e biombos nos caixas. Abertura e fechamento remoto das agências, fim da guarda das chaves por funcionários.

Igualdade de oportunidades: fim às discriminações nos salários e na ascensão profissional de mulheres, negros, gays, lésbicas, transsexuais e pessoas com deficiência (PCDs).

Portal CTB com SEEBs

Fora Temer mobiliza milhares neste domingo, confira os locais

FEC-BA convoca a categoria comerciárias para tomar as ruas nesta sexta-feira (25) contra os ataques às conquistas do povo brasileiro

Deixe seu comentátio

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *