facebook twiter Youtube

CTB debate desafios da classe trabalhadora no Fórum Social


“O tempo político exige muita responsabilidade e muita sensibilidade dos movimentos social e sindical. A classe trabalhadora tem forte expectativa é espera uma resposta para os desafios postos desde 2016”, afirmou o presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Adilson Araújo, nesta terça-feira (17/01), em Porto Alegre, durante sua fala no Fórum Social das Resistências.

O dirigente participa do seminário sobre “Os desafios da classe trabalhadora diante da ofensiva liberal” que, além de fazer o balanço de 2016, avalia a recessão tem como objetivo o achatamento salarial e o impacto das reformas da Previdência e Trabalhista. “Esses são ingredientes de uma receita amarga já experimentada por todos os brasileiros e quem só ganha com isso são os bancos, os proprietários de títulos públicos e os conglomerados financeiros”, afirmou Araújo.

A palavra de ordem do Fórum Social 2017 em Porto Alegre é resistência

Durante sua fala, o dirigente nacional destacou que, historicamente, todo êxito do movimento sindical foi fruto de muita luta, resistência e unidade. E está claro que a agenda de mobilização para o próximo período deve ter como combustível os interesses da classe trabalhadora. “A agenda deve ser unificada. Nada que conquistamos veio sem luta e lutar é da essência do movimento sindical. Por isso, a CTB sinaliza para toda a sua base que a mobilização deve ser total”, completou.

Portal CTB

 

Senado analisa projeto que dá às mulheres direito ao serviço militar

Coletivo de Comunicação da CTB Bahia se reúne no dia 28 de março

Deixe seu comentátio

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *