facebook twiter Youtube

Após morte de macacos, 400 mil doses de vacina contra febre amarela é liberada


Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) e a Secretaria da Saúde de Salvador intensificaram as ações de controle do vírus da febre amarela na capital baiana. Cerca de 400 mil doses extras da vacina foram liberadas nesta quarta-feira (29), a fim de imunizar os indivíduos que não possuem duas doses registradas no cartão de vacinação.
Devido à confirmação de casos de febre amarela em quatro macacos, nos bairros da Vila Laura, Paripe e Itaigara, em Salvador, detectados precocemente pela vigilância epidemiológica estadual e municipal, o processo de vacinação foi intensificado. No total, serão disponibilizadas 2 milhões de doses para atingir a cobertura vacinal de 100% da população que ainda não está imunizada. Considerando que quem tomou uma dose da vacina nos últimos 10 anos encontra-se imunizado contra a doença.
Na avaliação do secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, a cooperação entre Estado e municípios é fundamental para garantir que a febre amarela não contamine humanos na Bahia. “Não temos nenhum caso confirmado em seres humanos em nosso estado e um dos motivos é que estamos atuando de modo preventivo. O governador Rui Costa determinou, desde janeiro, um bloqueio vacinal nas regiões oeste, Extremo Sul e sudoeste do estado, em virtude da situação epidemiológica da febre amarela no país, com a ocorrência de óbitos em São Paulo, Goiás e Minas Gerais, incluindo regiões que fazem divisa com a Bahia”, destaca Vilas-Boas
O secretário aponta ainda que, desde janeiro, a vigilância epidemiológica do estado vem executando o plano de ação elaborado para a prevenção da febre amarela nos municípios com epizootias (morte de macacos), com o objetivo de adotar precocemente medidas para evitar a ocorrência da doença em humanos, como aquelas realizadas atualmente na capital baiana.
Fonte: Secom

Número de pessoas contaminadas com vírus HIV neste ano já supera o de 2015 em Feira de Santana

Reforma permite tempo de trabalho maior em local que faz mal à saúde

Deixe seu comentátio

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *