facebook twiter Youtube

Parceria com Bloco Afro Olodum leva cultura e cidadania a bairros da capital


A partir do mês de novembro, 870 jovens, na faixa etária de 15 a 21 anos, que moram nos bairros do Pelourinho, Nordeste de Amaralina e Calabar, em Salvador, serão beneficiados pelas atividades do projeto Escola Olodum pela Paz e pela Vida, que levará educação, cultura e cidadania às comunidades convergentes do Programa Pacto pela Vida.

Para alinhar as ações, o presidente do Bloco Afro Olodum, João Jorge, esteve na manhã desta sexta-feira (7), na Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), onde dialogou com o titular da pasta, Geraldo Reis, e a superintendente de Apoio e Defesa aos Direitos Humanos (SUDH), Anhamona de Brito.

A iniciativa é um desdobramento do convênio assinado em fevereiro deste ano, entre a SJDHDS e o bloco afro, e integra as ações da campanha Paz Absoluta (Olodum) e também do Plano Juventude Viva. O projeto utilizará o poder da mobilização e conscientização dos tambores do Olodum como ferramenta estratégica para fornecer noções sobre cultura, cidadania, autoestima e defesa de direitos. Para Geraldo Reis, “a parceria com o Olodum vai reforçar as ações no âmbito do Pacto Pela Vida, desenvolvidas pelo Governo do Estado nas áreas de vulnerabilidade, sobretudo onde se apresentam os índices mais preocupantes. Acreditamos que as metodologias da Escola Olodum, uma marca cultural que é patrimônio da Bahia, sejam assertivas para colaborar com a construção de uma sociedade mais pacífica e empoderada”.

Metodologia

No Pelourinho, serão realizadas oficinas criativas de percussão, samba reggae, dança afro, canto afro, formação de lideranças. Nos bairros do Nordeste de Amaralina e Calabar, serão realizadas as oficinas juventude, consciência e autoestima, com qualificação profissional em samba reggae, dança afro, trança e turbantes, por meio de uma proposta de musicalização fundamentada na ação de protagonismo juvenil dos jovens aprendizes. Para o presidente do Bloco Afro Olodum, João Jorge, “a parceria vai trazer novos marcos para proteger a vida, estimular novas vivências e criar uma metodologia, onde a cultura e a arte sejam símbolos transformadores da experiência e expectativa de vida das pessoas”.

Escola Olodum

Com 32 anos de experiência em atividades consolidadas e testadas em formação de jovens lideranças negras, notadamente por meio da música, dança, percussão, arte e formação de lideranças, a Escola Olodum vem discutindo temas transversais no campo da cidadania, dos direitos humanos e das relações interpessoais, formando assim jovens protagonistas.

Fonte: Ascom/SJDHDS

Restaurantes Populares comemoram Dia Mundial da Alimentação

Ipac reabre Praça das Artes e mais três estacionamentos nesta terça-feira

Deixe seu comentátio

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *